Ela não conseguiu o dinheiro emprestado e acabou fazendo depósitos

15 de julho de 2019

Uma mulher de 27 anos registrou um Boletim de Ocorrência na Delegacia de Concórdia na última semana, relatando que pode ter sido vítima de um golpe. Ela tentou fazer um empréstimo, mas acabou fazendo depósitos que somaram R$ 2.798,00. Além de não conseguir o dinheiro emprestado, ela não consegue recuperar o dinheiro depositado.

A mulher, que prefere não se identificar, relatou ao Jornalismo da Rádio Aliança, que entrou em um site de uma empresa de crédito financeiro e simulou um empréstimo de R$ 5 mil. Segundo ela, para fazer a simulação, precisou preencher alguns dados no site, mas mesmo assim, não conseguiu finalizar o procedimento. “Não deu certo, não consegui finalizar a simulação, mas preenchi o formulário e lá acabei inserindo meu telefone”, contou.

Após a tentativa de simulação a vítima recebeu uma ligação de uma mulher que dizia ter acompanhando o procedimento no sistema e que percebeu que não havia dado certo. Esta pessoa disse que seria possível fazer o empréstimo sim, mas de outra forma. “Ela me ligou via WhatsApp e explicou que eu poderia fazer o empréstimo de R$ 5 mil como eu desejava. Porém, para isso, eu precisava depositar duas parcelas adiantadas e o valor de um imposto. Tudo isso seria devolvido, segundo ela, junto com o valor do empréstimo”, detalhou a mulher. “Parecia muito real, pois eles me enviaram um contrato, que continha as cláusulas de um empréstimo e até o CNPJ da financeira”, destacou.

Ela acabou fazendo dois depósitos e não recebeu nada de volta. Não depositaram os R$ 5 mil do empréstimo e nem devolveram os valores depositados. “Ela me dizia que o dinheiro estava bloqueado e ainda pedia mais, dizendo que era uma taxa necessária, mas aí desconfiei. Fiz contato com uma amiga e ela me alertou sobre a possibilidade de ser golpe. Mas aí já era tarde”, contou a mulher. “A pessoa que falava comigo ainda me disse que se eu não depositasse mais, o contrato seria cancelado e eu teria que pagar 60% do valor que eu iria pegar emprestado”, detalha indignada.

Ela contou que fez contato com o Banco para tentar bloquear os depósitos, mas já não havia mais o que fazer. O caminho foi ir até a Delegacia. “Agora é torcer para que a polícia consiga descobrir quem foi. Infelizmente eu não consultei ninguém antes, não pedi ajuda na hora, acreditei no contrato falso e na conversa da mulher e fiz os depósitos”, lamentou.

Mais Acessadas