O mês de agosto deve manter o padrão observado nos meses anteriores de pouca chuva. A partir de setembro a chuva deve ser mais frequente no estado

27 de julho de 2019

A previsão da Epagri/Ciram aponta chuva abaixo da média climatológica para o próximo trimestre (agosto, setembro e outubro) em Santa Catarina. Persiste a condição de chuva mal distribuída, alternando períodos de chuva e mais secos. O mês de agosto deve manter o padrão observado nos meses anteriores de pouca chuva. A partir de setembro a chuva deve ser mais frequente no estado.

Agosto é um dos meses com menos chuva no Estado, com dias ensolarados e ar mais seco. O risco de temporais com granizo e ventania é menor, e com a primavera passa a ser mais frequente associado à passagem de frentes frias, sistemas de baixa pressão e Complexos Convectivos de Mesoescala (CCM) mais comuns a partir de setembro.

Em agosto os valores de chuva variam de 90 a 130 mm no Litoral e Vale do Itajaí e Planalto, e entre 140 a 190 mm no Oeste e Meio-Oeste. Em setembro, o volume de chuva aumenta em relação agosto, variando de 110 a 130 mm no Litoral Sul, de 130 a 170 mm no Planalto (Norte e Sul) e de 150 a 210 mm no Oeste e Meio-Oeste. Em outubro, o volume de chuva permanece entre 110 e 130 mm no Litoral Sul, passa a 130 a 170 mm no Litoral Norte, Grande Florianópolis, Vale do Itajaí e Planalto, e no Oeste e Meio-Oeste é o mês com o maior volume de chuva de 190 a 230 mm.

No trimestre a ocorrência de ciclones extratropicais no litoral do Uruguai, Rio Grande do Sul e Santa Catarina provocam ventos fortes e persistentes, mar muito agitado e por vezes ressaca com perigo a navegação de embarcações de médio e pequeno porte, assim com danos em áreas costeiras no litoral catarinense.

Temperatura

O inverno continua ameno e a primavera chega com elevação na temperatura, com previsão para o trimestre de temperatura acima da média climatológica em Santa Catarina. As massas de ar frio seguem chegando com pouca intensidade e com menor duração sobre o Estado (de 1 a 3 dias), intercalado com períodos mais aquecidos, devido ao fenômeno El Niño. Em especial no mês de agosto, podem ocorrer episódios (de curta duração) com dias de frio intenso e temperatura mínima próxima de zero grau e negativa nas áreas altas do Estado, com formação de geada ampla. Em agosto ainda há chance de neve, com maior probabilidade nas áreas altas do Planalto Sul.

Mais Acessadas