No processo foram ouvidas 16 pessoas. O réu, acusado de feminicídio e ocultação de cadáver, está preso

30 de julho de 2019

Nesta terça-feira (30) pai e filho estão sentados no banco dos réus no Tribunal do Júri, em Lages. Eles são acusados pelos crimes de feminicídio e ocultação de cadáver, ocorridos em 2016 na cidade serrana de São José do Cerrito.

De acordo com a denúncia do Ministério Público, um dos réus matou a companheira com um pedaço de lenha, depois de uma discussão. Eles eram casados há três anos e moravam no interior do município. O crime é qualificado pelo motivo fútil, além de ser praticado contra a mulher por razões da condição de sexo feminino.

Já o pai é acusado de ajudar o filho a ocultar o corpo. Pela denúncia, eles transportaram o corpo, com ajuda de mais uma pessoa, no porta-malas de um carro e jogaram no Rio Uruguai, entre os municípios de Campos Novos, em Santa Catarina, e Barracão, no Rio Grande do Sul. O corpo nunca foi encontrado.

No processo foram ouvidas 16 pessoas. O réu, acusado de feminicídio e ocultação de cadáver, está preso.

Mais Acessadas