Vítima foi morta a tiros

31 de julho de 2019

O réu do último júri popular da comarca de Chapecó foi condenado por homicídio, com erro sobre a pessoa, qualificado por motivo fútil e por emprego de recurso que dificultou a defesa da vítima. A sentença foi de 18 anos e oito meses de prisão, em regime fechado. Ele estava preso preventivamente desde a data do crime.

Em julgamento, o acusado fez uso do direito de permanecer em silêncio sob argumento de que estava abalado emocionalmente. O conselho de sentença foi formado, a partir de sorteio, por seis homens e uma mulher. A sessão foi presidida pelo juiz da 1ª Vara Criminal, Jeferson Osvaldo Vieira. Na acusação esteve a promotora de justiça, Marta Fernanda Tumelero. E na defesa atuou o advogado Alexandre Santos Correia de Amorim.

De acordo com a denúncia apresentada, dias antes do crime o réu discutiu com uma mulher que foi auxiliada por um homem. Esta situação terminou em ameaças de morte contra o interventor. Quando o agressor voltou em busca de vingança, atirou quatro vezes na pessoa que estava deitada em um sofá. Porém, não era o homem ameaçado dias antes. O crime aconteceu no dia 8 de julho de 2017, no bairro Quedas do Palmital, em Chapecó (Autos nº 0006359-73.2017.8.24.0018). ​

Mais Acessadas