Leocir Pessini morreu no dia 24 de julho, aos 64 anos

4 de agosto de 2019

bioética —estudo das implicações morais despertadas por pesquisas científicas— foi o foco das pesquisas do padre Leocir Pessini, superior geral da Ordem dos Ministros dos Enfermos (Camilianos). 

Filósofo e teólogo, fez mestrado e doutorado em teologia moral, concluiu pós-doutorado no centro de bioética da Universidade Edinboro (EUA) e lançou livros sobre o assunto (que tratam de eutanásia e bioética em tempos de globalização). Tornou-se referência na área. 

Padre Léo, como era conhecido, nasceu em Joaçaba (SC). Mudou-se ainda na juventude para Iomerê, onde ingressou no seminário dos Camilianos. A religiosidade foi herdada da família, de origem italiana. Foi ordenado padre em 1980 por dom Paulo Evaristo Arns (1921-2016). 

Era visto como alegre e otimista. Costumava motivar as pessoas próximas a não desanimar diante de obstáculos. “Vamos em frente!”, dizia. A leitura e a escrita eram as suas grandes paixões. 

Viveu de 2014 até o início deste ano em Roma. Morreu no dia 24 de julho, aos 64 anos, em decorrência de um câncer. Deixa a mãe, o pai e duas irmãs.


Mais Acessadas