Uma das vítimas fraturou uma costela e teve dentes quebrados. Os bandidos fugiram com dinheiro e um carro da família

14 de agosto de 2019

Dois homens armados assaltaram e agrediram uma família na manhã desta terça-feira (13), na linha Passo dos Ferreiras, a cerca de 2 km da SCT-480, no interior de Chapecó, no Oeste do Estado.

Com exclusividade, uma das vítimas conversou com a reportagem do ND+. A dona de casa, de 52 anos, contou que a dupla chegou a pé na propriedade e pediu um copo com água. 

“Eu estava preparando o almoço quando percebi que meu marido entrou na casa, pegou um litro de água na geladeira e levou lá fora, mas logo ele voltou correndo, aí eu percebi que era um assalto”, contou a moradora, ainda bastante abalada. 

A mulher e o marido, de 43 anos, correram e se trancaram no banheiro, porém um dos homens arrancou a porta com um chute. Armados, os bandidos renderam o casal e levaram até a sala da casa. 

“Eles deitaram nós no chão e pediram para que todos ficassem quietos e, que não olhassem para eles. Um deles começou a agredir o meu marido com coronhadas e chutes, que quebraram os dentes e uma costela dele”, relatou a vítima.

Porta foi arrancada com um chute – Willian Ricardo/ND

Enquanto o casal estava rendido, um dos assaltantes foi até os fundos da propriedade e rendeu o pai do morador, de 67 anos. O idoso também foi levado até a sala da casa, onde foi agredido com chutes. 

“Enquanto um roubava o nosso carro, o outro cuidava de nós”, contou a mulher. 

A dupla exigiu dinheiro, armas e a chave dos dois automóveis da família. Como um dos carros estava com pouco combustível, os assaltaram roubaram apenas um Ford/Focus, branco, com placas de Chapecó. 

A ação durou aproximadamente 15 minutos. “Ele fechou a porta da sala e falou que não era para nós sair, porque se não ele matava”, disse. 

Os assaltantes fugiram do local com o Focus da família, um smartphone e R$ 400 (da venda de uma ovelha). A dupla seguiu rumo a rodovia. 

A Polícia Militar esteve na propriedade e coletou detalhes sobre o caso. As guarnições também realizaram buscas, mas até a publicação da matéria nenhum suspeito foi preso. A Polícia Civil deve investigar o crime. 

O morador agredido foi levado ao Hospital Regional do Oeste.

Ação durou cerca de 15 minutos. A polícia procura a dupla – Willian Ricardo/ND

Trauma 

A família cuida da propriedade há nove anos, onde trabalham com gado e ovelha. Segundo a moradora, eles nunca passaram por uma situação semelhante. 

“Foi a primeira vez, foi horrível ver aquela arma na nossa cabeça, aqueles caras mal encarados. Não desejo para ninguém. Passamos muito medo”, finalizou a vítima.


Mais Acessadas