Vinicius Dequigiovani, de 22 anos, é sobrevivente de tragédia ocorrida há quase três meses em Ponte Serrada

23 de agosto de 2019

Após passar 75 dias internado no Hospital Regional São Paulo (HRSP), em Xanxerê, Vinicius Dequigiovani voltou para casa para ficar com a família na última semana, em Passos Maia.

O jovem, de 22 anos, sofreu um grave acidente há quase três meses, na BR-282 em Ponte Serrada. Desde então, passou boa parte do tempo em uma cama de hospital, sedado e em estado grave.

Ao Oeste Mais, Vinicius relata os dias difíceis em que esteve hospitalizado e como foi complicada a recuperação. “Os dias no hospital demoraram a passar, a maioria deles passei sedado, depois que fecharam a minha barriga, começaram a tirar os sedativos e o respirador mecânico”, diz.

No acidente, o jovem acabou lesionando apenas o abdômen. O cinto de segurança acabou esmagando a pele de Vinicius e provocou o rompimento do intestino em dois lugares.

Vinicius é sobrevivente de um grave acidente na BR-282 (Foto: HRSP/Divulgação)

Apesar de não ter contraído nenhuma infecção, ele precisou fazer a retirada do baço devido ao sangramento. Vinicius relata que foi complicado deixar os sedativos porque ele, de alguma forma, se tornou dependente.

“Estou me adaptando ainda, já consigo andar na cadeira de rodas. A recuperação é lenta, mas vou melhorar a cada dia que passa”, confia.

Segundo a família do jovem, o momento mais crítico foi 20 dias após o acidente. A primeira cirurgia em que ele foi submetido, no dia 3 de junho, acabou dando errado e a pele na região da barriga rejeitou o procedimento.

O corpo de Vinicius desenvolveu uma bactéria e aumentou ainda mais o local da lesão. “Não tinha mais pele para fechar a barriga, daí ele começou a usar um curativo para ganhar tecido e a doutora conseguiu fechar. Nisso, foram mais 27 dias sedados praticamente com o abdômen todo aberto só com um curativo”, relembra a esposa Jaqueline Dequigiovani.

Acidente ocorrido no dia 1º de junho, que acabou vitimando duas pessoas em Ponte Serrada (Foto: Kiane Berté/Oeste Mais)

O acidente

Vinicius estava sentado no banco traseiro, no lado direito, no dia 1º de junho, data da tragédia que provocou a morte do secretário de Agricultura de Ponte Serrada, Abel Conrado, e do produtor ponteserradense Luiz Mayer. Ambos estavam no mesmo veículo que Vinicius, um Renault Sandero, da Prefeitura de Ponte Serrada. A colisão foi frontal com um Toyota, de Governador Celso Ramos.

O jovem ficou sabendo da morte dos amigos 12 dias após o acidente. Amparado pela mãe, pai e uma psicóloga, ele recebeu a notícia que já temia.

“Já imaginava isso, porque eles estavam meio desmaiados na hora do acidente. Eu só estava esperando alguém confirmar”, relembra.

Vinicius ainda não se diz preparado para falar mais sobre o dia da tragédia. Prefere ficar apenas com as lembranças boas dos companheiros com quem passou as últimas horas daquela tarde.

Questionado sobre os planos para o futuro, muito religioso, o jovem diz não ter nenhum. A explicação é que, segundo ele, o futuro a Deus pertence. “Apenas viver um dia após o outro, na certeza de que Deus está guiando os meus passos”, finaliza.

Mais Acessadas