Equipamento é obrigatório segundo resolução do Conatran. Batida entre carro e carreta ocorreu na sexta-feira (6)

9 de setembro de 2019

O menino de 2 anos que morreu em um acidente entre um carro e uma carreta em Rancho Queimado, na Grande Florianópolis, na sexta-feira (6) era transportado sem cadeirinha, afirmou a Polícia Rodoviária Federal (PRF). O equipamento é obrigatório, de acordo com a resolução 277/2008 do Conselho Nacional de Trânsito (Conatran). Além da criança, uma mulher de 52 anos também morreu na batida.

O acidente ocorreu por volta do meio-dia no km 52 da BR-282. De acordo com a PRF, ao que tudo indica, o motorista do Voyage, com placas de Joinville, teria perdido o controle do veículo e invadiu a pista contrária. A carreta, com placas de Concórdia, colidiu de frente com o carro. As causas do acidente ainda são investigadas.

Acidente ocorreu por volta do meio-dia na BR-282 em Rancho Queimado — Foto: PRF/Divulgação

A PRF fiz que, após a batida, o menino foi jogado para fora do veículo. Provavelmente ele estava sem cinto de segurança. No carro em que ele estava, com cinco lugares, estavam seis pessoas. Quatro delas estavam no banco de trás, onde há três lugares.

Os quatro sobreviventes ficaram machucados. O motorista da carreta saiu ileso. O Instituto Médico Legal (IML) informou que as vítimas fatais foram identificadas como Isaac Malaquias Vieira da Silva, de 2 anos, e Elisete Florêncio Malaquias, de 52 anos. Os dois eram naturais de Rio do Sul, no Vale do Itajaí.

Mais Acessadas