Análise faz parte da atualização do IPER-SC, realizado pela Facisc

1 de outubro de 2019

Índice de Performance Econômica das Regiões de Santa Catarina (IPER-SC) da Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina (Facisc) registrou crescimento de 0,6% no primeiro semestre deste ano e, em 12 meses acumula crescimento de 2,9%.

Segundo o IPER, este é o terceiro ano que o estado vem crescendo, porém, no ano de 2019, em menor proporção do que em 2017 e 2018.

Entre as regiões do estado, as que registraram maior crescimento no primeiro semestre foram as regiões do Extremo Oeste (5,2%), Norte (3,2%) e Oeste (1,8%).

As que tiveram maiores quedas foram as regiões da Serra (-3,6%) e Noroeste (-2,9%).

No acumulado em 12 meses (até junho de 2019), as regiões que registraram maior crescimento foram: Norte (5,4%), Extremo oeste (4,4%) e Vale do Itajaí (3,2%).

As que tiveram maior queda nesta base de comparação foram as regiões da Serra (-2,2%), Planalto Norte (-2,1%) e Alto Vale (-1,8%).

Para o economista da Facisc, Leonardo Alonso Rodrigues, os resultados econômicos expressos na análise indicam que o movimento econômico catarinense segue trajetória de crescimento, porém, em ritmo menor este ano: 

“Observamos uma atenuação de um maior crescimento possível do estado por um lado, e, por outro lado, se mantêm ao menos o ritmo de recuperação econômica mais célere frente ao que ocorre no cenário nacional”.

A tendência para os próximos meses é que Santa Catarina mantenha o ritmo de crescimento com perspectivas mais positivas para os dois últimos trimestres do ano.

“O segundo semestre conta, com alguns avanços nas reformas em curso, com a diminuição da taxa de juros e da inflação, bem como de medidas pontuais de curto prazo como, por exemplo, a liberação de saques do FGTS. Tais avanços contarão positivamente na economia estadual, mas o que se observa, é que não serão condicionantes para promover um crescimento maior em 2019 aos que já foram obtidos nos dois últimos anos”, explica o economista.

Mais Acessadas