Araucárias estariam sendo envenenadas na intenção da posse do lote do terreno em que elas estavam

4 de outubro de 2019

Depois de mais de um ano de investigação, suspeitos por um crime ambiental foram indiciados em Chapecó, no Oeste do Estado. No ano passado, o Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) recebeu uma denúncia de que uma empresa estaria sendo a responsável pelo envenenando de árvores. O Ministério Público encaminhou a denúncia à Polícia Civil e as autoridades policiais começaram a apurar o caso.

Leia também: Agosto de 2019 registrou o maior número de focos de incêndio dos últimos 8 anos em SC

Segundo o delegado responsável pela investigação, Willian Meotti, a empresa – do ramo imobiliário – estaria cortando os troncos e injetando veneno, na intenção de que as árvores morressem e, assim, a empresa recebesse autorização e licença ambiental (LA) para o corte das Araucárias.

Em entrevista à reportagem da NSC TV, o delegado ainda disse que foram atingidos pelo menos sete pinheiros e que a empresa as envenenava para que, assim que fossem cortadas, a posse do lote do terreno que a empresa tinha interesse seria facilitada.

O inquérito foi enviado ao poder público e a empresa e o empresário foram indiciados por crime ambiental.

Mais Acessadas