Segundo informou Papini, a vítima era usuária de drogas. No dia do crime, acompanhada de outros moradores de rua, ela foi até o local comprar crack

4 de outubro de 2019

A Polícia Civil concluiu o inquérito investigativo sobre a morte de Paulo Sérgio da Silva, de 45 anos, assassinado na madrugada de 4 de março de 2019, no cruzamento das ruas Barão do Rio Branco com a São Tomé de Aquino, no bairro São Pedro, em Chapecó (SC). A investigação apurou que sete pessoas estão envolvidas na morte da vítima. Dos suspeitos, quatro foram detidos e três estão foragidos. Silva foi comprar droga, mas após um desentendimento por causa de uma dívida de drogas, ele foi agredido e morto. O crime foi esclarecido após nove meses de investigação.

O Delegado Vagner Papini e o delegado regional Ricardo Casagrande reuniram a imprensa na tarde desta quinta-feira (3), para falar sobre o caso. Papini explicou que a investigação foi longa por conta da dificuldade em localizar testemunhas.

Tivemos uma dificuldade extremamente grande de localizar testemunhas oculares, que realmente colaborassem conosco. São Pedro, como todos sabem, é uma localidade onde há um índice de criminalidade muito alto. Então, embora muitas pessoas tenham visto a ação delitiva, elas optam por não colaborar – por medo de represálias que elas podem correr posteriormente. Depois de uma investigação bastante demorada, com várias informações contraditórias, nos últimos dias conseguimos concluir o inquérito policial e descobrimos que sete foram os indivíduos responsáveis pela morte dessa vítima”, explicou Papini.


Como aconteceu o crime?

Segundo informou Papini, a vítima era usuária de drogas. No dia do crime, acompanhada de outros moradores de rua, ela foi até o local comprar crack. O homem entregou R$30 para um dos suspeitos, que disse que não iria entregar a drogas, mas descontaria o valor de uma dívida de R$80 que a vítima tinha com eles. O adolescente e a vítima começaram a discutir, outros do grupo também se envolveram na discussão.

Suspeitos

O delegado Papini disse que sete pessoas estão envolvidas no crime, sendo quatro adultos (dois com 19 anos, um de 22 e outro de 25 anos) e três adolescente (um com 14 anos e outros dois com 17). Dos investigados quatro foram detidos e três estão foragidos. Os detidos são um adulto e três adolescentes.

“Todos os indivíduos possuem um vasto histórico policial, por tráfico de drogas, ameaça, roubo, furto, porte ilegal de arma de fogo, entre outros. A vítima, por sua vez, também tinha um considerável histórico de passagens policias”, comentou Papini.

Indiciamento

O delegado informou que os investigados maiores de idade serão indiciados por homicídio duplamente qualificado por motivo fútil, tendo em vista que a motivação foi uma dívida que a vítima tinha oriunda do tráfico de drogas. Também por terem impossibilitado a defesa e a fuga da vítima, por conta do número de indivíduos que agrediram a vítima.

“Além do homicídio duplamente qualificado, os maiores também foram indiciados por corrupção de menores, tendo em vista que na companhia desses adolescentes praticaram a infração penal de homicídio”,  complementou Papini. 

Mais Acessadas