A estimativa da Epagri/Ciram é de que sejam necessários pelo menos 100 mm de chuva acumulada para amenizar o problema

14 de outubro de 2019

A chuva que caiu nas últimas 48 horas em Santa Catarina está longe de resolver o problema da estiagem. As pancadas foram fracas e mal distribuídas, com os maiores acumulados no Planalto Norte — em Itaiópolis foram 66 mm e em Rio Negrinho 49,8 mm. Além dessas cidades, apenas o Sul registrou valores semelhantes, com 45 mm em Nova Veneza e 32 mm em Timbé do Sul.

De acordo com a Epagri/Ciram, a chuva está abaixo da média em todas as regiões do Estado desde junho deste ano. A estimativa é de que seja necessário pelo menos 100 mm de chuva acumulada para reverter a situação de estiagem. Além disso, é fundamental que a chuva venha de forma contínua, com duração de pelo menos três dias.

O monitoramento demonstra que a situação é mais crítica em cidades da Grande Florianópolis. Em Santo Amaro da Imperatriz, onde fica o Rio Vargem do Braço – responsável pela captação 70% de abastecimento da região — a chuva acumulada atinge apenas 23% do total esperado para o período. Normalmente em outubro os acumulados de chuva variam de 140 a 180 mm da Serra ao Litoral e 210 a 280 mm no Oeste e Meio-Oeste.

O último levantamento do órgão, atualizado nesta segunda-feira (14), aponta que 14 municípios de SC têm rios em situação crítica. Em Palhoça, Alfredo Wagner, Chapadão do Lageado, São João Batista, São Martinho, Coronel Freitas, Joaçaba e Camboriú os casos são de emergência. Forquilhinha, Canoinhas, São Carlos, Tangará, Concórdia e Rio Negrinho têm rios em estado de alerta.

Frentes frias de pouca intensidade

A meteorologista Gilsânia Cruz, explica que um dos fatores que levou a esta situação é a fraca intensidade das frentes frias que passaram pelo Estado, já que estes sistemas são os principais responsáveis por causar chuva neste período em SC. Além disso, ela pontua que a chuva registrada no período foi mal distribuída, o que contribuiu para um agravamento da situação com o passar dos meses.

— É possível perceber também que no período desta primavera os jatos de baixos níveis, que são como correntes de vento que trazem umidade para o Estado estão menos intensos, o que também impacta a nossa chance de chuva — afirma a meteorologista.

Alívio está distante

Ao longo desta semana a previsão é de tempo fechado e pancadas de chuva mal distribuídas de chuva em Santa Catarina. No litoral ela deverá cair mais fraca e persistente, enquanto no Oeste deverá vir mas intensa e rápida.

A tendência é de que essa condição permaneça na próxima semana no período, de 19 a 22 de outubro, a formação e deslocamento de duas frentes frias por SC, mantenha o tempo úmido com condição de chuva e temporais isolados no estado. Depois disso, o tempo volta a ficar mais firme com predomínio de sol em boa parte dos dias. A temperatura diminui um pouco nos dias de tempo instável, mas sobe rapidamente com o retorno do sol.

Mais Acessadas