A competição aconteceu na Alemanha, e a TomiFerr Bengals, com sede em Caçador, disputou com o gato Scooby Doo

31 de outubro de 2019

Neste final de semana o gato Scooby Doo, da raça Bengal, criado pelos proprietários da TomiFerr Bengals, Edevar Tomiozzo Junior e Maíra Ferrarin, recebeu o título de melhor gato Bengal Adulto no Mundial de Beleza Felina, que aconteceu na Alemanha. O gato vive em Caçador, porém nasceu na Suécia, na casa da amiga dos atuais donos, Ullis Lindblom Gramlid.

“Ele foi considerado o melhor Bengal na categoria adulta. Voltamos para casa felizes com esse resultado, infelizmente não conquistamos o título de campeão mundial, mas ficamos felizes de ele chegar até aqui”, afirma Maíra Ferrarin.

Porém, essa não é a primeira conquista do Scooby Doo. “Antes de vir para o Brasil, ganhou campeonatos na Suécia e na Dinamarca. Inclusive, em abril desse ano, com apenas seis meses de idade, conquistou o título Scandinavian Winner 2019, na Finlândia, tornando-se o único gato a viver na América com esse título”, destaca o Edevar Tomiozzo Junior.

A raça Bengal foi criada em 1963, nos EUA, por meio de uma cruza entre um leopardo asiático (nome científico: Prionailurus bengalensise) e um gato doméstico, nascendo um gato híbrido. Porém, somente após três gerações dessa cruza é considerado um Bengal. “A pelagem do Bengal evoluiu muito, o leopardo só possui spots (pintas), já o Bengal moderno possui rosetas como uma onça. Isso se deve a um árduo trabalho genético de importante criadores. Atualmente procuramos ficar longe de gerações próximas ao leopardo, devido a evitar mal temperamento, pelagem de padrão antigo e doenças desconhecidas proveniente do leopardo. Nossa qualidade genética é selecionada por meio de requisitos escritos dentro do padrão da raça, olhando para importantes e antigos criadores da Europa”, afirma Edevar.

Essa é uma raça rara e que carrega uma história junto, com isso, para comprar um Bengal o investimento é alto. “O valor de um Bengal varia muito conforme a qualidade e padrão genético. De um criador sério e ético será acima de R$4.000,00, já castrado. Um filhote dentro do padrão da raça, sem castrar, é em torno de R$15.000,00. Esse custo não é somente porque ele é exótico, mas dentro da raça existem doenças específicas, muito comuns em filhotes de criadores que não realizam exames dos padreadores e matrizes antes das cruzas, como por exemplo, PKdef e PRA que são feitos em Davis nos EUA e o Ecocardiodopler, feito anualmente por um cardiologista para descartar doenças cardíacas como o HCM. Entre diversos outros fatores como melhoramento genético e qualidade de vida deles”, enfatiza.

Edevar Tomiozzo e Maíra Ferrarin sempre foram apaixonados por gatos, assim carregando várias conquistas dos animais. “Não é nosso primeiro Bengal que tem importantes títulos, temos o GoldenRosettes Sherlock, que participou de competições de beleza no Brasil e Hungria, tornando-se Grande Campeão Internacional e Junior Winner. Além de outros gatos como Iron, Angel e Safira, que também já foram premiados”, afirma.

Sem fins lucrativos e com objetivo de desenvolver o aprimoramento e a difusão da raça, por meio do melhoramento genético, TomiFerr Bengals assegura linhagens de sangue puro, mantendo plantel com padreadores e matrizes registrados na Fedração Internacional de Felinos (FIFe), obedecendo aos padrões da raça. “Não vendemos gatos ou registros, e sim qualidade genética, e não compactua com criações em fundo de quintal e gaiolas, fêmeas cruzadas sem intervalo para recuperação, cruzas consanguíneas, e/ou reprodução desenfreada. Todo o valor arrecadado com os filhotes, são revertidos na melhoria genética, e qualidade de vida para o plantel e filhotes”, finaliza Edevar Tomiozzo.

Mais informações sobre a raça e a qualidade genética, podem ser conferidas no site www.gatiltomiferr.com.br

Mais Acessadas