Duas pessoas foram executadas a tiros dentro de um carro na Rua Quintino Bocaiuva, no centro do município

24 de novembro de 2019

Um crime trágico foi registrado na madrugada deste domingo, 24 de novembro, em Caçador. Duas pessoas foram executadas a tiros dentro de um carro na Rua Quintino Bocaiuva, no centro do município.

De acordo com informações, por volta das 4hrs, uma mulher chegou com um veículo no Pronto Socorro do Hospital Maicé pedindo atendimento para seu esposo Roberto Machado, de 40 anos, e sua sobrinha, Gislaine Vogel, de 18 anos, que haviam sido baleados dentro do carro, no referido endereço.

Sem contar muitos detalhes á equipe médica, a mulher apenas solicitou que cuidassem deles e saiu em alta velocidade, no entanto ela acabou sendo abordada próximo a Praça da Concórdia pela Polícia Militar pela sua forma de estar dirigindo.

Ao ser questionada, a condutora relatou que estava indo para casa buscar documentos, já que havia deixado seu marido e sua sobrinha no hospital depois tê-los encontrado baleados dentro do carro.

Com relação aos fatos, ela contou em seu depoimento que estava com o marido, a sobrinha e outros familiares numa festa de formatura  no Clube das Bochas e, num determinado momento teria percebido a ausência do marido e da sobrinha, momento em que foi até onde o carro estava estacionado e os encontrou, já baleados.

Sobre o porquê de não ter acionado o serviço de socorro e assim também violado a cena do crime, ela revelou que ficou nervosa e sua primeira reação foi entrar no carro e levá-los direto para o hospital com objetivos de salvá-los.

Segundo dados preliminares, havia no vidro do lado direito do carro, pelo menos quatro perfurações de revólver calibre 38. Os tiros atingiram face e cabeça das vítimas, que em princípio já estavam mortas quando chegaram ao hospital.

Outro fato curioso é que apesar de o crime ter sido cometido no centro do município, a PM não recebeu nenhuma ligação de disparos de arma fogo, e só foi comunicada pelas equipes do hospital e após o relato da mulher ao ser abordada.

Apesar de ser a única pessoa que esteve na cena do crime, após prestar depoimento, a mulher foi liberada pela polícia civil. Um inquérito será instaurado para investigar os crimes.

Mais Acessadas