Os postos têm frascos de vinagre, que é o tratamento imediato indicado para as queimaduras | Foto: Patrick Rodrigues

2 de dezembro de 2019

A temporada nem começou, mas já viralizou nas redes sociais um vídeo em que um surfista filma dezenas de caravelas na beira da praia do Santinho, no Norte da Ilha. De acordo com a sargento Glaucia Krüger, do Corpo de Bombeiros de Santa Catarina, a caravela é mais perigosa do que as água vivas, porque os tentáculos são longos (até três metros) e quando encostam na pele podem provocar queimaduras e até uma parada cardíaca.

Nos locais em que for constatada a presença de caravelas, os guarda-vidas estarão hasteando a bandeira lilás, uma das novidades para a temporada.

Já para os banhistas ou surfistas que sofrerem lesão proveniente do contato com águas vivas, a recomendação também é procurar um posto de guarda-vidas. “As pessoas que forem queimadas por águas vivas não devem raspar o local ou jogar água doce, porque isso faz com que a toxina se espalhe. O ideal é passar vinagre, substância que corta o efeito da toxina da água viva”, explica Krüger.

Em caso de contato, tenente Bruno de César Toledo Camilo, do Corpo de Bombeiros Militar, diz que é indicado procurar ajuda médica o mais rápido possível. A mesma recomendação vale para reações alérgicas graves em caso de queimadura com águas-vivas.

– Em qualquer um dos casos, deve-se inicialmente procurar o posto de guarda-vidas mais próximo, pois lá eles podem dar um primeiro atendimento e acionar uma equipe dos bombeiros ou do Samu, se for o caso – diz.

Os postos têm frascos de vinagre, que é o tratamento imediato indicado para as queimaduras. O aplicativo Praia Segura, do Corpo de Bombeiros de SC, indica diariamente as praias onde há presença de águas-vivas e caravelas.

Mais Acessadas