Líder de facção catarinense Guilherme Vieira, o “Xiru” (no centro da imagem — Foto: PNP/Divulgação), e outros dois homens presos em Capitán Bado foram entregues à PF

6 de fevereiro de 2020

Vídeo gravado pela Polícia Nacional mostra a operação que prendeu na madrugada desta quarta-feira (5) um dos principais líderes da facção criminosa PGC (Primeiro Grupo Catarinense).

A prisão foi em uma casa pela Polícia Nacional do Paraguai a partir de investigações da Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Caçador e da Diretoria de Inteligência da Polícia Civil catarinense. O alvo era investigado por tráfico de drogas e associação e tem mandado de prisão decretado pela Justiça de Caçador. O homem tem 27 anos e é natural de Passo Fundo, no Rio Grande do Sul. “Ele foi identificado como um dos principais fornecedores de maconha e cocaína para a facção que atua no Estado, em especial na região de Caçador”, afirma o delegado Davi Matos, da DIC de Caçador.

O investigado havia sido preso em Chapecó com 5 quilos de crack, mas fugiu em novembro de 2017. Depois, foi capturado novamente em Passo Fundo (RS), em fevereiro de 2019, e naquele mesmo ano, no mês de outubro, novamente fugiu. “Tínhamos informações que ele estava no Paraguai e a partir de prisões que fizemos em janeiro essa linha de investigação se confirmou”, ressaltou o delegado. Ao identificar o local em que ele estava em Capitan Bado, houve integração das informações.

“Conseguimos identificar a localidade dele em Capitan Bado, fizemos contato com a inteligência da PC, que intermediou toda a operação realizada pelo CIOF com envolvimento do Ministério Público do Paraguai e da Polícia Nacional do Paraguai”, comentou. Também auxiliaram a investigação o GAECO de São Miguel do Oeste e a Diretoria de Inteligência da Polícia Civil do Rio Grande do Sul. Outros dois homens também foram presos na ação. 

Guilherme Antonio Vieira, o “Xiru”, foi preso com outros dois homens em Capitán Bado, cidade paraguaia vizinha de Coronel Sapucaia, a 400 km de Campo Grande.

As imagens mostram vários policiais com armas na mão invadindo e cercando a casa. Um deles tenta arrombar a porta a chutes, sem sucesso. Em seguida, um dos presos abre a porta e os policiais entram na casa. Dois homens saem com as mãos para o alto. Guilherme foi dominado na cozinha.

O Primeiro Grupo Catarinense teria assumido a rota da cocaína produzida no Peru. Investigação da polícia peruana revela que a quadrilha brasileira conseguiu expulsar do Peru o Cartel de Sinaloa (México), chefiado por Joaquín Guzmán Loera, o Chapo, preso e condenado à prisão perpétua nos Estados Unidos.

Segundo a polícia antinarcóticos peruana, com apoio do grupo terrorista Sendero Luminoso, o PGC traz cocaína de avião das áreas produtoras direto para o Brasil.

A promotora de Justiça Denise Duarte, que chefiou a operação para prisão de “Xiru”, afirma que o bandido brasileiro se instalou na fronteira para se esconder da polícia em território paraguaio. “Esta gente se dedica ao narcotráfico, roubo de veículo e homicídios. Tem foco em Florianópolis, mas opera em todo o Estado de Santa Catarina”, afirmou ela.

Denise Duarte disse que o Paraguai já iniciou os trâmites para expulsar “Xiru” daquele país. Ele está sendo levado para Ciudad del Este, vizinha de Foz do Iguaçu (PR), onde será entregue à Polícia Federal brasileira. A identidade dos outros dois presos não foi informada.

Mais Acessadas