Larvas do aedes foram encontradas entre os bairros Alto Bonito e Vereda dos Trevos

18 de fevereiro de 2020

Quatro novos focos do Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, foram localizados em Caçador. A confirmação foi repassada pela Vigilância Epidemiológica na segunda-feira, 17, após a análise do Laboratório Central de Saúde Pública.

Os últimos focos foram localizados entre o bairro Alto Bonito e Vereda dos Trevos. Até o momento, Caçador contabiliza seis focos apenas em 2020.

Agentes de endemias, juntamente com os agentes de saúde, realizaram uma varredura no entorno de onde os focos foram encontrados.  Larvas foram coletadas e encaminhadas para análise para confirmação se são do mosquito transmissor da doença.

A dengue é transmitida pelo mosquito semelhante ao pernilongo, mas com coloração preta e branca. Para evitar o surgimento tanto do mosquito da dengue quanto de pernilongos é necessário, principalmente, eliminar a água parada.

“Observamos, nos locais da varredura, que a população está guardando água da chuva sem ter o cuidado de tampar ou bater este vasilhame. Locais assim facilitam para que o mosquito procrie, nasça e se desenvolva. Onde tem água parada, pode ter dengue. Não podemos deixar que o mosquito se desenvolva em Caçador e precisamos da conscientização dos cidadãos para isso. Dengue é uma doença séria, que pode matar”, destaca o diretor da Vigilância Epidemiológica, Célio Becker.

Como combater o mosquito:

– Não deixe água parada, destruindo os locais onde o mosquito nasce e se desenvolve, evita sua procriação.
– Deixe sempre bem tampados e lave com bucha e sabão as paredes internas de caixas d’água, poços, cacimbas, tambores de água ou tonéis, cisternas, jarras e filtros
– Não deixe acumular água em pratos de vasos de plantas e xaxins. Coloque areia fina até a borda do pratinho.
– Plantas que possam acumular água devem ser tratadas com água sanitária na proporção de uma colher de sopa para um litro de água, regando no mínimo, duas vezes por semana. Tire sempre a água acumulada nas folhas.
– Não junte vasilhas e utensílios que possam acumular água (tampinha de garrafa, casca de ovo, latinha, saquinho plástico de cigarro, embalagem plástica e de vidro, copo descartável etc.) e guarde garrafas vazias de cabeça para baixo.
– Entregue pneus velhos ao serviço de limpeza urbana, caso precise mantê-los, guarde em local coberto.
– Deixe a tampa do vaso sanitário sempre fechado. Em banheiros pouco usados, dê descarga pelo menos uma vez por semana.
– Retire sempre a água acumulada da bandeja externa da geladeira e lave com água e sabão.
– Sempre que for trocar o garrafão de água mineral, lave bem o suporte no qual a água fica acumulada.
– Mantenha sempre limpo: lagos, cascatas e espelhos d’água decorativos. Crie peixes nesses locais, eles se alimentam das larvas dos mosquitos
– Lave e troque a água dos bebedouros de aves e animais no mínimo uma vez por semana.
– Limpe frequentemente as calhas e a laje das casas, coloque areia nos cacos de vidro no muro que possam acumular água.
– Mantenha a água da piscina sempre tratada com cloro e limpe-a uma vez por semana. Se não for usá-la, evite cobrir com lonas ou plásticos.
– Mantenha o quintal limpo, recolhendo o lixo e detritos em volta das casas, limpando os latões e mantendo as lixeiras tampadas. Não jogue lixo em terrenos baldios, construções e praças.

Mais Acessadas