Cerca de 35 mil pessoas, segundo estimativa da Polícia Militar, fizeram um grande cortejo nos 3,5 quilômetros da Catedral Santa Terezinha até o Cemitério Frei Edgar e celebraram este momento de ação de graças

8 de março de 2020

A multidão que foi às ruas de Joaçaba pela 30ª vez neste domingo (8), numa grande manifestação de fé durante a Caminhada Penitencial Frei Bruno, foi compensada no encerramento da Celebração Eucarística com duas boas notícias para a Causa de Frei Bruno Linden, o franciscano que já é “santo” para o povo catarinense. De Roma, o vice-postulador Frei Estêvão Ottenbreit enviou mensagem informando que a Congregação para a Causa dos Santos nomeou o Monsenhor Maurizio Taglaferri como relator do processo de beatificação que está no Vaticano. “Se este parecer for positivo, o que todos nós cremos, o Papa declarará Frei Bruno Venerável”, animou Frei Estêvão. Ao mesmo tempo, o povo ouviu o segundo vice-postulador, Frei Alex Ciarnoscki, adiantar em nome do Tribunal Diocesano que a Causa de Frei Bruno já tem, entre tantas graças, condições de escolher um milagre para pedir a beatificação de Frei Bruno.

Segundo Frei Alex, independentemente do processo que está no Vaticano, a Diocese já pode dar continuidade nesta nova etapa da Causa de Frei Bruno, que é a da apresentação do milagre que pode tornar Frei Bruno beato. Para isso, o bispo diocesano de Joaçaba, Dom Mário Marquez, já pode instalar o Tribunal Diocesano que vai analisar este milagre antes de seguir para Roma.

Nesse clima de gratidão e alegria, também os confrades de Frei Bruno na Província da Imaculada Conceição vieram em peso para prestar essa homenagem no 30º ano desta Caminhada. Entre eles estavam o Ministro Provincial, Frei César Külkamp; o Vigário Provincial, Frei Gustavo Medella; o Definidor Frei Alexandre Magno; o mestre Frei Samuel Ferreira de Lima e os nove frades estudantes do tempo de Filosofia que vieram de Rondinha (PR); o mestre Frei Rodrigo da Silva e os noviços que vieram de Rodeio (SC) e especialmente os frades atuam na Região Sul da Província.

Cerca de 35 mil pessoas, segundo estimativa da Polícia Militar, fizeram um grande cortejo nos 3,5 quilômetros da Catedral Santa Terezinha até o Cemitério Frei Edgar e celebraram este momento de ação de graças. Junto ao povo de Joaçaba e Luzerna, juntaram-se os peregrinos que vieram em caravanas do Sudoeste do Paraná (Chopinzinho e Pato Branco), do Oeste Catarinense (Coronel Freitas, Xaxim com cinco ônibus, Concórdia e Curitibanos), do Vale do Itajaí (Balneário Camboriú, Gaspar, Rodeio, Blumenau) e de Curitiba e Campo Largo. Importante ressaltar que os peregrinos de Luzerna, conduzidos pelo pároco Frei Nolvi Dalla Costa, também fazem a Caminhada, mas a deles tem um percurso de 6 km.

A Caminhada teve início com a Santa Missa, presidida por Dom Mário, concelebrada por Frei César, Frei Gustavo, Frei Alex, Frei Clarêncio Neotti, pelo pároco da Catedral, Pe. Pedro Angelo Manchini, frades da Província, sacerdotes da Diocese, religiosos (as) e seminaristas. Durante o Ato Penitencial, os peregrinos caminharam até o Cemitério, onde se deu o encerramento da Santa Missa.

A causa de Frei Bruno

O processo da Causa de Frei Bruno recebeu da Congregação para as Causas dos Santos o “nihil obstat” (nada contrário) no dia 7 de maio de 2013. No mesmo ano, no dia 30 de outubro, foi instalado o Tribunal Eclesiástico da Diocese, formado por: Pe. Davi Lenor Ribeiro dos Santos, delegado do bispo, Pe. Clair José Lovera, promotor de justiça; Michelle Selig, notária (secretária); e Cláudio Orço, notário auxiliar. Trabalhou neste processo também uma Comissão Histórica formada por Frei Clarêncio Neotti e a historiadora Iraci Lopes, que teve a missão de recolher toda a documentação sobre Frei Bruno, tudo o que se escreveu sobre ele e todas as referências à vida e santidade de Frei Bruno. Depois de cinco anos de trabalhos, encerrou-se essa fase diocesana no dia 25 de fevereiro de 2018, enviando o processo ao Vaticano.

O Ministro Provincial, Frei César Külkamp, leu a mensagem que Frei Estêvão enviou aos caminhantes deste domingo, já que não pôde estar presente nesta edição. Frei César lembrou que, ainda recentemente, a Congregação para a Causa dos Santos deu parecer positivo para a documentação do processo de Frei Bruno que foi enviado ao Vaticano. “Esse processo é longo e exige da nossa parte muita oração, para que ele possa caminhar”, orientou Frei César, ao ler a mensagem de Frei Estêvão:

Hoje se realizou pela trigésima vez a Caminhada Penitencial ao túmulo de Frei Bruno, que nos quer lembrar sempre de novo a nossa verdadeira vocação: a santidade. Nos últimos anos, pude estar sempre presente e também hoje os acompanho em espírito. Infelizmente, não foi possível estar presente e poder participar da Caminhada.

Também o processo de beatificação de Frei Bruno é uma caminhada. Passo a passo, com muita paciência e perseverança. Algumas semanas atrás recebemos a boa notícia de que o processo diocesano foi acolhido pela Congregação para a Causa dos Santos. Agora, no dia 2 de março, recebi a boa notícia de que o relator foi nomeado. É o monsenhor Maurizio Taglaferri. Esta nomeação é muito importante porque ele, o relator, vai ler todo o processo, principalmente os depoimentos, e vai emitir um parecer sobre o grau heróico das virtudes vividas por Frei Bruno. Se este parecer for positivo, o que todos nós cremos, o Papa declarará Frei Bruno Venerável. Depois disso, falta apenas a apresentação e aceitação de um milagre que tenha acontecido pela intercessão de Frei Bruno. Resta-nos, agora, apenas continuar a rezar pela beatificação de Frei Bruno e pedir a Deus um milagre por intercessão de Frei Bruno”.

Frei César pediu aos todos os devotos que permaneçam firmes para que, “na nossa fé e na nossa oração”, essa beatificação de Frei Bruno aconteça e chegue até cada um de nós. “E o mais importante de tudo isso é que possamos viver e praticar aquilo que Frei Bruno tanto propagou na sua vida de evangelizador por tantos e tantos lugares e que coloquemos, acima de tudo, o amor de Deus e o amor aos irmãos”, pediu.

Frei César agradeceu à presença dos romeiros de Frei Bruno e, principalmente todos aqueles que vieram das Paróquias Franciscanas que aceitaram o convite feito para esse trigésimo ano, como pôde ser visto nos cartazes e faixas, através da campanha: “Frei Bruno vem a nós, e nós vamos a Frei Bruno”. “Que ele possa continuar indo    ao encontro de cada um de vocês. Essa campanha vai continuar ano a ano. Esperamos que ela cresça sempre mais nessas comunidades, mas principalmente na abertura do coração para acolher a santidade vivida em Frei Bruno e que é uma missão para cada um de nós. Que Deus vos abençoe nesta santa Romaria, que possamos crescer em santidade”, desejou o Ministro Provincial.

Frei Alex falou no final como segundo Vice-Postulador. “O Evangelho, nas palavras de São Pedro, nos dizia: ‘É bom estarmos aqui’. E, de fato, é bom a gente se encontrar, caminhar, refazer os passos de Frei Bruno e refazer nossos passos na caminhada da santidade. Mais uma vez, como Frei César lembrava, transmito a todos um abraço carinhoso de Frei Estêvão que não pôde estar conosco. O Frei César nos trouxe boas notícias e anuncio outra. Primeiro, dizer que a nomeação de um relator no Vaticano significa que lá os trabalhos de análise do processo continuam, mas aqui no Brasil, a Diocese continua dando os passos na elaboração do processo de beatificação de Frei Bruno. Agora, é necessário redigir um texto, chamado Positio, uma espécie de resumo da vida de Frei Bruno, para falar da importância deste franciscano para nossa vida, para nossa fé. É um trabalho de muita dedicação e, graças a Deus, a pessoa que já foi escolhida pelo Tribunal Diocesano e está aqui conosco: Frei Clarêncio Neotti”, adiantou Frei Alex, lembrando que Frei Clarêncio ajudou na Comissão Histórica e escreveu dois livros recentes sobre Frei Bruno: uma biografia e uma novena.

“Ano passado, Dom Mário pediu aos postuladores e a uma comissão para recolherem e ouvirem pessoas que alcançaram graças por intercessão de Frei Bruno a fim de apresentar um milagre. Dom Mário, esse trabalho foi feito e já se pode dizer que há casos bem concretos para, ainda neste ano, apresentar um milagre para a causa de beatificação de Frei Bruno. Com isso, o Tribunal Diocesano poderá iniciar oficialmente a indicação de um milagre para beatificação de Frei Bruno”, explicou.

Segundo o frade, é importante continuar rezando. “Pedimos  a Deus que nos conceda Frei Bruno como exemplo de vida e de santidade. Tenhamos sempre conosco as orações e novenas. Que a gente possa levá-las conosco, ofertá-las às pessoas que passam por algumas necessidades. E que, conhecendo a vida de Frei Bruno, nos motivemos a viver melhor nossa vocação cristã, nossa vocação de batizados e batizadas. Todos nós somos chamados a sermos santos e santas. Que Frei Bruno nos mantenha neste caminho!”, pediu Frei Alex.

Angelo Júnior Radavelli/Pascom

Mais Acessadas