O ministro Alexandre de Moraes, do STF, suspendeu a nomeação de Alexandre Ramagem para diretoria-geral da Polícia Federal feita um dia antes pelo presidente Jair Bolsonaro

29 de abril de 2020

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, suspendeu nesta quarta-feira (29) a nomeação de Alexandre Ramagem para o cargo de diretor-geral da Polícia Federal. A ação havia sido protocolada pelo PDT e questionava a nomeação de Jair Bolsonaro por conta da relação de amizade de Ramagem com os filhos do presidente e por causa das acusações feitas pelo ex-ministro da Justiça, Sergio Moro.

Quando o juiz deixou seu cargo no Ministério, ele acusou Bolsonaro de tentar interferir politicamente nas investigações da Polícia Federal, em ato que não havia sido feito “nem no governo anterior” no ápice das investigações da Operação Lava Jato.

“Diante de todo o exposto, nos termos do artigo 7º, inciso III da Lei 12.016/2016, defiro a medida liminar para suspender a eficácia do Decreto de 27/4/2020 (DOU de 28/4/2020, Seção 2, p.

1) no que se refere à nomeação e posse de Alexandre Ramagem Rodrigues para o cargo de Diretor-Geral da Polícia Federal”, publicou Moraes.

Há ainda a determinação de notificação imediata da “autoridade impetrada” e a comunicação deve ser feita, “inclusive por WhatsApp em face da urgência, ao Advogado-Geral da União. Após, encaminhem-se os autos à Procuradoria-Geral da República para apresentação de parecer”.

Istoé

Mais Acessadas

Carregando...