Projeto do bilionário Elon Musk foi lançada recentemente e ainda pode ser vista a olho nu no céu na noite desta segunda, 11; projeto visa levar internet para todo o mundo até o final do ano

12 de maio de 2020

Quem olhou para o céu por volta de 19h05 desta segunda-feira, se deparou com uma cena no mínimo intrigante: filas de pequenos pontos brilhantes cruzaram a noite em formação, a uma velocidade constante, e depois desapareceram.

Embora muitas pessoas nas redes sociais achassem que fosse um grupo de OVNIs (Objetos Voadores Não Identificados), não era nada disso. Os pontos brilhantes eram os mais novos satélites do projeto Starlink da empresa SpaceX, do bilionário Elon Musk. A última frota com 60 unidades foi lançada no dia 22 de abril.

Esse “fenômeno” pôde ser visto porque os satélites ainda estão relativamente próximos à Terra. Isso acontece até três ou quatro semanas após o lançamento conforme a luz do Sol é refletida pela estrutura metálica dos dispositivos. Depois desse período, os objetos chegam à sua altitude final (próximo de 50o km acima da superfície do planeta) e, por serem pequenos, só são visíveis com um telescópio.

O professor Ordilei Marcelo, do Observatório Astronômico Domingos Forlin – ODF, de Videira, explica o fenômeno.

Para quem perdeu a passagem dos satélites desta segunda-feira, haverá uma nova passagem visível na terça, 12, entre as 18h e as 18h30, se o céu já estiver bem escuro na sua região.

Para saber outras ocasiões em que será possível ver os satélites Starlink à noite, basta consultar o site https://findstarlink.com/ e selecionar a sua região.

Mais Acessadas