A organização mantinha uma rede de operadores financeiros, empresas e “laranjas” no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina.

20 de maio de 2020

A Delegacia de Roubos e Antissequestro (DRAS) da Polícia Civil de Santa Catarina cumpriu nesta terça-feira (19) mandados de busca e apreensão em três apartamentos de alto padrão, dois em Itapema e um em Balneário Camboriú. A ação faz parte de uma operação deflagrada pela Polícia Civil do Rio Grande do Sul, para desarticular uma organização criminosa gaúcha responsável por tráfico de drogas e lavagem de dinheiro.

Segundo informações da Gaúcha ZH, os alvos da operação são três homens apontados como antigas lideranças do grupo, que estão no crimes desde 1990, e agora comandam duas células criminosas. A investigação que resultou na operação, chamada de Magna Opera, ocorria há dois anos.

A polícia suspeita que a quadrilha agia há quase três décadas no tráfico de drogas e de armas, inclusive em rotas internacionais, no Paraguai, Argentina e Uruguai. A organização mantinha uma rede de operadores financeiros, empresas e “laranjas” no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina.

Nos dois estados, foram cumpridos ao todo 60 mandados de busca. A Justiça determinou 138 quebras de sigilo bancário e fiscal, bloqueio de contas bancárias de 41 investigados, além do sequestro de 29 imóveis e 23 veículos.

Em Santa Catarina, um dos automóveis apreendidos foi um Mustang GT, que é avaliado em mais de R$ 100 mil. A estimativa é que os bens apreendidos nos dois estados somam mais de R$ 16 milhões.

Mais Acessadas

Carregando...