Os secretários conversaram com o presidente do Sistema Acafe e reitor da Unochapecó,

26 de maio de 2020

As principais demandas da Educação e os desafios para execução do calendário letivo diante das indefinições provocadas pela pandemia do novo coronavírus foram tema de  reuniões no Centro Administrativo na manhã desta terça-feira, 26, entre Governo do Estado, Sistema Acafe e Sindicato das Escolas Particulares do Estado de Santa Catarina (Sinepe). O chefe da Casa Civil, Amandio João da Silva Junior, e os secretários estaduais da Educação, Natalino Uggioni, e da Saúde, André Motta Ribeiro, ouviram os pleitos do setor e apresentaram o panorama da Covid-19 no território catarinense. As demandas serão avaliadas junto às áreas técnicas.

“O Governo é sensível aos pleitos dos representantes da área de ensino catarinense. Sabemos que a Educação é um dos setores mais afetados nessa crise, por isso precisamos discutir com cautela e responsabilidade cada movimento ligado à flexibilização de atividades, sempre levando em consideração os indicadores epidemiológicos e o momento pandêmico em que vivemos”, afirmou Amandio João da Silva Junior.  

Por webconferência, os secretários conversaram com o presidente do Sistema Acafe e reitor da Unochapecó, professor Claudio Alcides Jacoski, que reconheceu a firme atuação do Governo do Estado em proteger o cidadão da Covid-19 e falou sobre as preocupações dos reitores das universidades comunitárias. “A gente não imagina a volta dos alunos agora. Temos um retorno muito bom das aulas remotas. Porém, criamos protocolos que permitiram o retorno seguro de 5 a 10% dos estudantes apenas em atividades laboratoriais e de estágio”, afirmou Jacoski. Conforme o reitor, essas atividades são essenciais para que os estudantes consigam concluir o primeiro semestre. 

O presidente do Sindicato das Escolas Particulares do Estado de Santa Catarina (Sinepe), Marcelo Batista de Sousa, reforçou as dificuldades econômicas provocadas pela suspensão das aulas presenciais e as preocupações dos pais especialmente com filhos em idade escolar. 

Análise da doença no estado

O secretário da Educação, Natalino Uggioni explicou que o Governo tem tratado diariamente dos assuntos relacionados à Educação durante todo esse período de isolamento social. “O anúncio de novas ações acontecem na medida que as condições da pandemia permitem. As liberações de atividades laboratoriais das entidades do Sistema Acafe, por exemplo, não deverão ocorrer em todas as 16 instituições de ensino ao mesmo tempo, e, sim, de acordo com as necessidades e o protocolo estabelecido em cada uma delas”, informou o secretário da Educação, Natalino Uggioni.

“A grande dificuldade é encontrar o ponto de equilíbrio nesse processo todo. Temos uma série de critérios e indicadores com ferramentas robustas que nos apresentam os cenários da pandemia. Qualquer movimento, por menor que pareça, pode trazer impactos enormes”, afirmou André Motta Ribeiro. 

Mais Acessadas