Caso ocorreu em 19 de fevereiro. A mulher, que é costureira, afirma que desde então não consegue trabalhar

10 de julho de 2020

A Polícia Militar concluiu que não houve crime na ação dos policiais envolvidos em uma ação que deixou uma mulher ferida em Mafra, no Norte catarinense, em 19 de fevereiro. O inquérito da PM investigou a conduta dos agentes de segurança envolvidos. No dia da ação, a mulher teve a perna quebrada. Ela, que tem 39 anos, é costureira e afirmou que desde então não consegue trabalhar.

A ação policial foi filmada por um morador do local. O vídeo mostrou ao menos seis policiais em uma propriedade no bairro Jardim América. Um deles levou a mulher com as mãos para trás e as imagens mostraram que um dos PMs a derrubou e imobilizou. Ela caiu no chão e acabou quebrando a perna e machucando o nariz. O vídeo circulou nas redes sociais.

O inquérito policial militar apontou inexistência de indícios de transgressão disciplinar. O relatório foi encaminhado à Justiça Militar em 22 de junho.

Sem voltar à rotina

Silvana de Souza, que na época precisou passar por cirurgia para colocação de 13 pinos para corrigir fraturas, ainda não conseguiu voltar a sua rotina.

“Agora já estou podendo andar um pouquinho melhor, mas ainda com bastante dificuldade. E a notícia pra mim veio como… meu Deus, eu me senti revoltada porque eu que passei por tudo isso, fiquei cinco meses sofrendo, 30 dias só na cama deitada. Foi bem ruim pra mim porque eu esperava que tivesse uma punição”, disse Silvana.

O Ministério Público de Santa Catarina tem até 20 de julho para se manifestar sobre o inquérito da PM. O promotor pode acatar o pedido de arquivamento, solicitar novas investigações ou denunciar os policiais.

O comando da PM de Mafra não quis se manifestar sobre a conclusão do inquérito. Os policiais que participam da abordagem continuam trabalhando.

Mais Acessadas