Atividade foi feita com alunos de curso de formação de bombeiro civil, sendo que parte deles estava sem máscara. Caso ocorreu em Lages e empresa foi multada por promover aglomeração

31 de julho de 2020

Uma empresa foi multada na tarde desta sexta-feira (31) pela Vigilância Sanitária municipal de Lages, na Serra catarinense, por promover aglomeração nas ruas da cidade na quinta (30). Um vídeo mostra alunos de um curso de formação de bombeiro civil da instituição correndo enquanto gritam frases machistas. A Secretaria de Saúde municipal deve encaminhar o caso ao Ministério Público (MPSC.

“A partir do vídeo que circulou nas redes sociais, mostrando um grupo de cerca de 50 pessoas correndo em total desrespeito às normas do decreto municipal, a Vigilância Sanitária multou a empresa que estava promovendo a atividade”, disse o prefeito de Lages, Antonio Ceron (PSD), em uma rede social.

Na imagem é possível ver que há pessoas sem máscara ou com ela no pescoço. “Salsa, cebola e cebolinha, lugar de mulher é na cozinha […] Salsa, cebola e pimentão, lugar de mulher é no fogão”, dizem as frases cantadas pelo grupo, que incluía mulheres.

A Polícia Militar informou que não recebeu denúncias, mas a própria PM e a Vigilância Sanitária percorreram escolas da região para descobrir qual delas promoveu a atividade. O valor da multa não foi informado pela prefeitura até as 16h30, pois segundo a assessoria de imprensa, as equipes continuavam no local.

Na cidade da Serra, assim como em outras regiões do estado, a prática de atividades físicas só pode ocorrer individualmente. Além disso, em Lages o uso de máscaras é obrigatório na rua, com multa de R$ 354 para quem descumprir a regra.

De acordo com o secretário de Saúde de Lages, Claiton Camargo, os vídeos e outros materiais serão reunidos e o Ministério Público deve ser acionado.

“Além de não estarem utilizando máscara, existem outras situações que podem ser enquadradas como crime e que precisam ser apuradas neste momento, como a questão da apologia de violência contra a mulher”, disse Camargo.

Lages tem uma Secretaria da Mulher, que segundo a prefeitura, promove atividades de proteção e políticas públicas contra o preconceito de gênero.

Em nota, o Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina informou que o grupo do curso civil em Lages não tem relação com a corporação e que os cursos de bombeiros comunitários da corporação estão suspensos por causa da pandemia.

LAGES, VÍDEO Grupo é flagrado correndo em rua de SC enquanto grita frases machistas

LAGES, VÍDEOGrupo é flagrado correndo em rua de SC enquanto grita frases machistasAtividade foi feita com alunos de curso de formação de bombeiro civil, sendo que parte deles estava sem máscara. Caso ocorreu em Lages e empresa foi multada por promover aglomeraçãoSAIBA MAIS: https://diarioriodopeixe.com/2020/07/31/grupo-e-flagrado-correndo-em-rua-de-sc-enquanto-grita-frases-machistas/

Publicado por Rio do Peixe em Sexta-feira, 31 de julho de 2020

Mais Acessadas