Dora Ogliari, de 59 anos, dirigia o veículo e conta que, apesar do susto, não ficou ferida. Acidente aconteceu na manhã de terça-feira em Videira

20 de agosto de 2020

Um carro continuou transitando após capotar em Videira, na manhã de terça-feira (18). O Fusca transitava pela Rua Brasil e teria ficado sem freios ao fazer a curva para acessar a Rua Nicolau Cavon, no Centro do município, por volta das 10h.

Dois vídeos que circulam nas redes sociais mostram o momento em que o veículo derrapa na rua e capota, ficando com as rodas para cima. Depois, o fusca é visto transitando novamente pela rua, com a porta amassada.

A motorista do fusca é a açougueira Dora Ogliari, de 59 anos. Ela conta que estava sozinha no momento do acidente e que, apesar do susto, não ficou ferida.

“Depois eu estava sentada lá, eu chorava muito, mas não era de susto, era de dor do meu Herbie [personagem do filme Se Meu Fusca Falasse]. Coitadinho do meu Herbie”, lamentou.

Ela diz que na manhã do acidente havia dirigido até Videira para uma consulta médica e estava sozinha no carro.

“Fui no hospital, parei e ele estava bom. Quando eu cheguei na rua Brasil, ele já faltou o freio. E eu fiquei desesperada. Então eu rezava, para todos os meus anjos que eu lembrei o nome, eu chamei. Quis tentar subir outra rua, mas não deu porque estava vindo gente, e ele já ia em uma certa velocidade”, relatou.

Dora recorda que precisou ultrapassar dois veículos para não bater. E que a única alternativa que pensou quando estava dentro do carro, com o veículo sem freios, foi permanecer dirigindo.

Ao fazer a curva, Dora acredita que tenha virado o volante muito depressa para não bater em outro carro que estava próximo, por isso acabou capotando.

“Graças a Deus não tinha nenhum pedestre na rua, não bati em ninguém nem atropelei ninguém. Fico feliz porque meu neto não estava comigo”, afirmou.

Ela lembra que foi retirada do carro por policiais e atendida pelo Corpo de Bombeiros e por socorristas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). A motorista conta que não quis ir para o hospital após o acidente porque não teve dores e assinou um termo de responsabilidade.

O veículo foi desvirado por pessoas que estavam próximas ao local e depois levado a uma oficina pelo marido de Dora. Ela conta que deixará o ‘fiel companheiro’ guardado no local até conseguir juntar dinheiro para fazer o conserto.

Após repercussão

Dorinha do Açougue, como é conhecida na Comunidade de Lourdes, onde mora, no interior de Videira, conta que sempre teve o sonho de ter um “Herbie”.

O desejo foi realizado há sete anos, após comprar o veículo. Dorinha conta que é a segunda proprietária dele e que foi o primeiro acidente que o carro sofreu.

“Eu fico contente porque, por causa disso, todo mundo ficou brincando depois que souberam que eu não me machuquei. Virei meme, adorei, e estou feliz né. A gente está nesta pandemia todos tristes e dei um pouquinho de alegria para todo mundo brincar comigo”, finaliza.

Mais Acessadas

Carregando...