Inquérito sobre o homicídio de João Ricardo Arno, de 35 anos, foi concluído menos de um mês após o crime

24 de setembro de 2020

Dois homens foram indiciados pela morte de João Ricardo Arno, de 35 anos, ocorrida no dia 26 de agosto deste ano, no interior do município de Ipuaçu. O homem trabalhava como vendedor em uma garagem de veículos em Xanxerê. O corpo foi encontrado no meio do mato. A dupla acusada de praticar o crime está presa preventivamente.

De acordo com a Polícia Civil de Abelardo Luz, responsável pelo inquérito do homicídio, os denunciados vão responder pelos crimes de latrocínio, porte ilegal de arma de fogo e ocultação de cadáver. O documento foi concluído e encaminhado para o Ministério Público.

Conforme o delegado Marcelo Fernando Tescke, o vendedor foi escolhido aleatoriamente pelo principal suspeito. No dia do crime, João saiu de Xanxerê e deslocou até Ipuaçu para mostrar um carro ao suposto comprador, um homem de 28 anos.

A polícia apurou na investigação que João teria sido golpeado por um objeto na cabeça e, na sequência, levado um tiro nas costas. A arma utilizada era do homem de 50 anos, que foi preso logo após a prisão do suspeito de 28 anos, localizado no mesmo dia, no município de Seara, com o carro do vendedor.

Ainda de acordo com o delegado, o corpo foi arrastado por cerca de 150 metros até uma área de mata. “Durante o inquérito, os dois indivíduos mantiveram-se em silêncio. O segundo homem preso preventivamente negou a participação no crime. O primeiro indivíduo preso tem um inquérito que foi reaberto de algo semelhante que ocorreu em 2018”, revelou o delegado em reportagem no site ND+.

Mais Acessadas

Carregando...