Jovens de 18 e 19 anos escorregaram e caíram ao tentar tirar fotos. Caso aconteceu em Lages no dia 13 de setembro. Delegado afirma que local tem placas avisando do perigo, mas pessoas ignoram advertência

14 de outubro de 2020

A Polícia Civil concluiu que as mortes das amigas de 18 e 19 anos que caíram de uma cachoeira de 30 metros em Lages, na Serra, foi um acidente. A queda ocorreu em 13 de setembro.

Bruna Rafaela Vellasquez, de 18 anos, e a amiga Monique Medeiros de Almeida, de 19 anos, caíram da parte mais alta da cachoeira de Salto Rio Caveiras e morreram após uma tentar socorrer a outra. Elas tiravam fotos quando uma delas se desequilibrou e caiu. Ao tentar ajudar a amiga, a outra também caiu.

O inquérito policial concluído na sexta-feira (9) foi enviado à Justiça sem nenhum indiciamento, informou o delegado responsável pelo caso, Raphael Quagliato Bellinati. De acordo com o delegado, elas estavam com mais dois amigos, um rapaz e uma outra jovem.

“Os quatro estavam no rio. Aí o menino e a outra colega ali sentiram que estava escorregadio, estava perigoso, e saíram. Quando as duas foram retornar, escorregaram e, na tentativa de que uma socorresse outra, as duas foram a solo, caíram dali e vieram a óbito”, disse o delegado.

Relembre o caso

As jovens despencaram de cerca de 30 metros de altura e caíram sobre as pedras em um local de difícil acesso.

Por isso, o helicóptero da Polícia Militar foi utilizado para auxiliar a equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) no resgate.

Quando os socorristas chegaram, Bruna já estava sem vida. Monique sofreu ferimentos graves, foi colocada em uma maca e içada até um campo, onde foi levada de ambulância até o Hospital Tereza Ramos, em Lages (veja acima vídeo do resgate). No entanto, ela não resistiu aos ferimentos e morreu ao dar entrada na unidade de saúde.

Após o resgate de Monique, os socorristas do Samu voltaram à cachoeira com auxílio do helicóptero da PM para resgatar o corpo de Bruna.

Perigo ao tentar tirar fotos

Durante a investigação, a polícia ouviu amigos e concluiu que o acidente ocorreu enquanto as duas vítimas tentavam tirar fotos.

“A situação ali é problemática por conta de que não existe uma fiscalização. Até porque o acesso às propriedades que dão acesso à cachoeira são propriedades particulares, então a responsabilidade não pode nem ser delegada ao próprio município ou à Secretaria de Turismo”, explicou o delegado.

Salto Rio Caveiras

De acordo com a Prefeitura de Lages, o Salto Rio Caveiras é procurado na cidade pela bela paisagem, mas possui áreas de visitação proibida.

Segundo os socorristas que atenderam o caso no dia do acidente, o local onde ocorreu a queda é de acesso proibido, mas recebe visitantes, especialmente em dias quentes.

Mais Acessadas

Carregando...