Durante o vídeo, Moisés diz que “chamou bastante a atenção o quanto os animais sofrem com a questão dos fogos de artifício com som”

7 de janeiro de 2021

A morte do cachorro da família de Carlos Moisés da Silva, na noite de Réveillon, fez o governador falar em desestímulo aos fogos de artifício com sons em Santa Catarina. Em vídeo divulgado nesta quarta-feira (6) em que anuncia a adoção de uma cachorrinha, Moisés conta que o antigo cão, Tobias, morreu no dia 1º de janeiro de 2021 após se assustar com os fogos. Ele não teve ferimentos, mas foi encontrado sem vida no pátio da Casa D’Agronômica, em Florianópolis.

– Infelizmente, essa prática ainda é comum e tira a vida de animais, além de prejudicar os autistas, idosos, entre outros. É importante conscientizar as pessoas a usarem apenas os fogos de artifício sem barulho – escreveu o perfil oficial do governador.

Durante o vídeo, Moisés diz que “chamou bastante a atenção o quanto os animais sofrem com a questão dos fogos de artifício com som”. E completou: “a gente até está pensando em alguma coisa para estimular os fogos de artifício, talvez, com cores, luzes, e desestimular o uso de fogos com esse barulho todo porque tem asilos, hospitais, enfim, uma série de instituições que sofrem com o disparo de fogos de artifício”.

Adoção

Com a morte do cão Tobias, Moisés e a família adotaram Sofia, uma cachorrinha que foi resgatada em situação de abandono pelo projeto “Ajude o Chico”, de Florianópolis. O grupo atende animais abandonados e foi o responsável por fazer a mediação entre uma moça que resgatou Sofia e o governador.

Segundo apuração, a nova mascote da família foi retirada de um local em que ficou quatro dias sem alimentação. Depois, madrinhas voluntárias bancaram uma hospedagem para o animal até que ele fosse adotado. Atualmente Sofia tem pinos nas patas por conta de um atropelamento.

Veja o vídeo em que Moisés fala sobre o desestímulo aos fogos de artifício com sons:

Mais Acessadas

Carregando...