Mais de 33 mil se recuperam da doença e internações passam de 900. Estado registra 663.699 infectados, com 7.242 mortes, e tem pessoas mais jovens procurando por hospitais.

27 de fevereiro de 2021

Santa Catarina bateu dois novos tristes recordes nesta sexta-feira (26). O estado chegou a 33.464 pacientes da Covid-19 em tratamento, o maior número da pandemia. Também atingiu 909 internações em Unidade de Terapia Intensiva (UTI), contando as redes pública e privada. Os números são do boletim estadual. Ainda segundo integrantes do governo, há mudança no perfil das vítimas, com pessoas mais jovens procurando por vagas em hospitais.

Desde março de 2020, 663.699 pessoas se infectaram com o vírus em Santa Catarina e 7.242 delas morreram. Mais de 6 mil novos casos foram acrescentados ao boletim do governo em 24 horas.

A taxa de ocupação de leitos de UTI da rede pública é de 90,69%. Se forem levados em consideração apenas os leitos de UTI-Covid-19 para adultos, esse número sobe para 96,61%, com todas as regiões com ocupação acima de 90%.

O superintendente de Regulação da Secretaria de Estado da Saúde, Ramon Tartari, afirmou à NSC que havia na manhã desta sexta mais de 70 pacientes esperando por uma UTI em Santa Catarina Segundo ele, há pessoas mais jovens procurando por leitos de UTI. O secretário de Estado da Saúde, André Motta, também fala sobre a mudança no perfil das vítimas. (veja o que eles disseram abaixo).

“Há um aumento da velocidade de transmissão, aumento da gravidade dos casos e também mudança de faixa etária atingida”, disse o secretário de Saúde.

“É uma mudança no perfil de pacientes, são pacientes que sequer têm comorbidades e estão chegando muito graves, num volume muito grande”, afirma superintendente de Regulação.

Hospitais do estado continuam enfrentando lotação. Em Xanxerê, no Oeste, em um espaço de seis horas, três pessoas esperando uma vaga na UTI morreram. Nesta sexta, o governo do estado publicou um decreto com medidas mais restritivas para tentar frear o contágio do vírus.

Confira os principais dados do boletim:

  • 663.699 casos confirmados. Na quinta (25), eram 657.649;
  • foram acrescentados ao boletim 6.050 casos em 24 horas;
  • 7.242 mortes. Na quinta, eram 7.165;
  • 663.699 recuperados;
  • 33.464 pacientes em tratamento. Na quinta, eram 31.859;
  • taxa de ocupação de leitos de UTI SUS é de 90,69%;
  • testes com resultado: 852.867 PCR e 754.839 testes rápidos, além de 8.647 diagnósticos clínicos;
  • 8.078 testes em análise no Lacen
  • todos os 295 municípios de Santa Catarina têm pelo menos um caso de Covid-19;
  • 273 cidades registram pelo menos uma morte pela doença.

Situação dos leitos

O superintendente de Regulação da Secretaria de Estado da Saúde, médico Ramon Tartari, disse em entrevista à NSC nesta sexta que mais de 70 pessoas aguardam por um leito de UTI em Santa Catarina.

“Entramos no período da manhã com 78 solicitações de UTI excedentes. Estamos com os hospitais sem leitos de UTI, eventualmente aparecem leitos no sistema, mas são leitos virtuais, porque imediatamente são ocupados por outros pacientes. Viemos desde segunda para terça-feira com leitos excedentes no sistema, pacientes que estão aguardando pelo leito de UTI”, afirmou.

Ainda segundo ele, muitas dessas pessoas que estão na fila acabam internadas com respirador mesmo sem estar em uma ala de Unidade de Terapia Intensiva.

“Eles estão assistidos de alguma forma, porque os grandes hospitais costumam ter muito mais equipamentos, respiradores, do que propriamente aqueles que existem dentro da UTI. Os profissionais acabam assistindo os pacientes fora do ambiente de UTI, seja na própria emergência hospitalar, onde permanecem um, dois, três dias, intubados alguns, em leitos clínicos, em enfermarias, e até mesmo, em algumas situações, aguardando nas unidades de pronto atendimento 24 horas para serem removidos aos hospitais”, relatou o superintendente.

Anda segundo Tartari, os pacientes internados neste momento são mais jovens do que costumavam ser no começo da pandemia.

“Observamos desde o início dessa nova onda, que começou pelo Grande Oeste, na última semana de janeiro, primeira semana de fevereiro, sentimos uma modificação no gráfico de tendência. A partir dali, percebemos um afluxo acelerado de pacientes nas emergências hospitalares com perfil mais jovem, muitos na faixa etária entre 40 e 50 anos, entre 50 e 60 anos”.

Para ele, isso mostra que outras variantes do coronavírus estão circulando no estado. “Compreende-se hoje que estamos diante da circulação intensa de novas variantes do coronavírus no estado de Santa Catarina, que são variantes com maior poder de transmissibilidade”, disse.

Até esta sexta, cinco casos de variante foram confirmadas no território catarinense, todas da cepa brasileira, com origem em Manaus.

O secretário André Motta falou nesta sexta sobre a ajuda que pediu ao Ministério da Saúde. “O que foi solicitado pelo estado de Santa Catarina foi justamente isso, equipamentos, respiradores e monitores, alguns medicamentos, o ‘kit intubação’. Porque apesar do estado estar preparado para isso, como governo do estado, percebemos que as redes filantrópica e municipal têm dificuldades. A gente está buscando também esses insumos”, afirmou.

“Discutindo também a questão do RH [recursos humanos], que é um problema em Santa Catarina, um problema no país todo e a gente tem bastante coisa alinhada, principalmente que a gestão de crise é do estado de Santa Catarina, o governo federal vai fazer o apoio que nós solicitarmos”, completou.

Motta também comentou sobre a rapidez atual do contágio da Covid-19 no estado. “Parece-me que há sim uma mudança da característica do vírus. É um momento extremamente delicado pela rapidez com que a gente está sendo atingido”, continuou o secretário.

Mais Acessadas

Carregando...