Há quatro anos, a vargembonitense Fabiana Obugalski trabalha como caminhoneira

7 de março de 2021

Viajar pelos estados brasileiros não era apenas uma vontade que surgiu de repente na vida da vargembonitense Fabiana Obugalski, de 29 anos. Muito pelo contrário!

A jovem mãe sempre sonhou em ser motorista de caminhão, desde pequena, e levou consigo o desejo pelo volante até conseguir o que mais queria: ser caminhoneira.

Ela começou trabalhar com caminhão há quatro anos, junto do ex-companheiro, que possuía uma empresa e também dirigia pelas estradas com ela nessa profissão. Ambos faziam o trajeto dos municípios de Catanduvas, Irani e Ponte Serrada, mas o relacionamento não durou e Fabiana precisou tomar uma nova decisão: se mudar e começar tudo do zero.

“Resolvi encarar minha vida em outro lugar, e com outra pessoa que me apoia nesta profissão”, conta a motorista.

Fabiana precisou mudar de cidade para poder trabalhar (Foto: Arquivo pessoal)

Há exatos dois meses, Fabiana foi contratada pela empresa Atual Embalagens, de Tangará, para trabalhar com carreta. Antes, ela residia com os filhos no município de Vargem Bonita, mas precisou se mudar de cidade para seguir no novo emprego.

“Viajo para São Paulo e Minas Gerais, fico 8 a 10 dias fora de casa. Ás vezes a saudade bate, a lágrima cai dos meus olhos, mas a paixão pela profissão é maior, pois você não se imagina fazendo outra coisa”, resume a motorista.

O incentivo pela profissão foi do próprio companheiro, Eduardo Dal Moro, que, mesmo ficando longe da esposa por vários dias, torce para que ela cresça cada vez mais.

“Não há orgulho maior no mundo a profissão da minha esposa, sempre representando muito bem nossa classe de motorista que hoje está em meio a uma dificuldade, mas a Fabi sempre sai para dar início as suas viagens, alegre sorridente, para ela é uma realização estar com seu caminhão nas estradas, fazendo suas entregas, onde ela da risada, brinca, se diverte e onde ela passa sempre encantando e criando várias amizades, sem contar o cuidado que ela tem com tudo”, conta o marido ao Oeste Mais.

Eduardo frisa que, desde o começo, sempre apoiou Fabiana nas decisões dela e que estar ao volante de um caminhão, sempre trouxe um sorriso a mais no rosto da esposa, mesmo nos momentos de dificuldade. 

“Em vários momentos difíceis ela chegou e pediu minha opinião dizendo que iria desistir, mas graças a Deus, entre autos e baixos, ela seguiu firme e forte”, comenta Eduardo.

“Hoje posso dizer que me orgulho muito dela, por ela ser motorista e pela pessoa espetacular que ela é. Ás vezes me pego às lágrimas com tanta felicidade de saber que ela é uma excelente profissional atrás do volante, sem dúvida ela é melhor do que eu as vezes”, finaliza o companheiro.

“Nunca desisti dos meus sonhos”.

Foi o que Fabiana disse sobre hoje ter conquistado o que mais queria. Ela relata que nunca sofreu algum acidente na estrada até hoje e que, mesmo assim, sempre presencia o perigo quando realiza as viagens. O que ela mais gosta no trabalho é conhecer pessoas novas e provar comidas diferentes.

“Meus pais Antônio e Nelva ficam com meus filhos e eu agradeço muito a eles, pois se eles não cuidassem, meu sonho não tinha se tornado verdadeiro. A cada viagem, eu fico mais tranquila em saber que eles [filhos] estão bem cuidados”.

“Para as meninas que sonham em ser caminhoneiras, não desistam. Ainda alguns me chamam de louca, mas eu digo que o ‘sol nasceu para todos, mas a lua é para os que têm diesel nas veias’”, finaliza.

Mais Acessadas

Carregando...