Até então eram 22 casos confirmados, número que aumentou após identificação, que passa por sequenciamento na Fiocruz; variante britânica também tem casos suspeitos em SC

14 de março de 2021

Foram identificados 72 casos da variante brasileira da Covid-19, denominada P1, em Santa Catarina, após análise de 87 amostras coletadas pelo laboratório Santa Luzia/DASA, o que representa índice de 82,8% do total.

“A partir destes dados, Santa Catarina confirma que a variante P1, a brasileira, está disseminada por todas as regiões do Estado, o que confirma em parte a informação de que onde há aumento na transmissibilidade da Covid-19 de pessoa para pessoa, especialmente nestas últimas quatro semanas”, afirma o superintendente de Vigilância em Saúde de SC, Eduardo Macário.

Até este sábado (13), segundo o Lacen ( Laboratório Central de Saúde Pública), Santa Catarina tinha confirmado um total de 22 casos da variante, sendo que 12 foram transmitidos dentro do Estado e 10 foram importados por pacientes que vieram de outra localidade.

O laboratório segue o protocolo padrão, de enviar as amostras para a Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), que então realizar o sequenciamento e retorna os resultados.

O Laboratório de Bioinformática da UFSC também integra a rede de identificação, já que a unidade realizou sequenciamento genômico de seis amostras da P1 e uma da variante britânica.

Quatro das amostras sequenciadas pela UFSC foram encaminhadas para a Fiocruz, que confirmou os resultados, servindo então para certificar o laboratório como centro colaborador no projeto de pesquisa de sequenciamento genético do coronavírus.

Neste último caso, da variante britânica, tratava-se de uma pessoa com histórico de viagem para a Europa, podendo ser classificado como um caso importado. A variante também causa preocupação, com casos suspeitos em solo catarinense.

Florianópolis possui 46 suspeitos da variante britânica

Além disso, as autoridades de saúde indicam um total de 47 casos suspeitos da variante britânica, a B.1.1.7, que residem em Florianópolis (46 pessoas) e Joinville (1 pessoa).

Nove dessas amostras foram enviadas à Fiocruz para sequenciamento. Terminada a análise, será possível identificar se a variante britânica circula em território catarinense.

Números de outras variantes também estão à vista

Segundo a DIVE (Diretoria de Vigilância Epidemiológica),Santa Catarina encaminhou 329 amostras para sequenciamento genômico na Fiocruz até este sábado (13), com 142 sequenciadas e 187 que ainda aguardam processamento.

Das amostras sequenciadas, foram identificadas 10 linhagens distintas, a saber: B.1, B.1.1.1, B.1.1.143, B.1.1.28, B.1.1.29, B.1.1.33, B.6, P.2, e duas VOC, a P.1 e a B.1.1.7.

Mais Acessadas

Carregando...