A Federação, assim como a CDL Videira, defende a manutenção das atividades econômicas, mesmo que com restrições

15 de março de 2021

As entidades empresariais de todo o Estado estão questionando na Justiça o pedido de lockdown, em Santa Catarina, feito pelo Ministério Público na quarta-feira (10/03), por meio de uma ação civil pública. O Estado passa por um dos piores momentos da pandemia da Covid-19 e declarou colapso no sistema de saúde no início do mês de março.

A Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Santa Catarina (FCDL/SC), na qual representa 208 CDLs, também protocolou, pedido para integrar o processo judicial na ação civil movida pelo MP, participando assim como interessada naquela demanda.

A Federação, assim como a CDL Videira, defende a manutenção das atividades econômicas, mesmo que com restrições. Para o movimento lojista e empresarial a situação deve ser de ajustes para manter a economia e assim ajudar a combater o coronavírus.

De acordo com o presidente da Federação, Ivan Tauffer, “os reflexos para o comércio já são enormes com as medidas atuais, sendo o sábado o melhor dia de vendas e estamos fechados, logo seu impacto e a inconveniência da medida são mais prejudiciais do que benéficos”.

A CDL Videira, por meio do presidente Fernando Favero também repudia a ação civil pública nos termos propostos, e desta forma, encaminhou ofício à FCDL/SC manifestando apoio à iniciativa da entidade. Favero ainda solicita o apoio dos associados para que continuem seguindo as medidas de todos os protocolos de segurança. “Dessa forma poderemos mostrar aos governantes o alinhamento da classe e preocupação com a saúde e a economia e, principalmente, que o comércio não é o problema da disseminação da doença”.

Mais Acessadas

Carregando...